Dia Interamericano do Escotista

5 agosto 2016

Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/escoteirosorg/public_html/beta/wp-content/themes/escoteiros-theme/single-noticias.php on line 18

No dia 6 de agosto de 1920, ao final do 1º Jamboree Mundial, em Olympia, Baden-Powell foi aclamado, por uma manifestação espontânea de milhares de jovens de dezenas de países, como Chefe Escoteiro do Mundo.

Ele aceitou um título que nenhum rei ou governo podia conferir, e de todas as honras que lhe eram destinadas, esta era para ele a mais valiosa. Na ocasião, disse: “Que esta seja a vontade de vocês. Antes de partir estamos dispostos a desenvolver entre nós mesmos e nossos jovens esta amizade, através do espírito mundial da Fraternidade Escoteira, a fim de que possamos ajudar a levar a paz, o bom humor no mundo, e a boa vontade entre os homens”.

Muitos anos depois, na Região Interamericana, em uma reunião de escoteiros-chefes do Cone Sul, por uma proposta do Paraguai, acordou-se promover o dia 6 de agosto como o Dia Interamericano do Escotista, precisamente em comemoração a data em que o fundador Robert Baden-Powell foi proclamado Chefe Escoteiro Mundial.

O dia 6 de agosto é, portanto, um dia de comemoração e reflexão, no qual devemos lembrar que, há mais de noventa anos, em um momento em que o mundo vivia em grande ebulição, uma grande manifestação de vozes jovens, de muitos países, concluiu o primeiro dos Jamborees Mundiais, sobre o qual Baden-Powell refletiu e escreveu: “Não pode haver se encontrado ninguém entre nós, sob aquela grande barraca, que não concordaria que aqui, nestes tempos de ansiedade e dúvida, se lançou um projeto cheio de promessas e de esperanças, onde homens e futuros homens de todas as nações se reunirão como irmãos, em mútua e feliz camaradagem, sob um ideal comum para o bem-estar do mundo”.

Hoje, agradecemos e homenageamos todos os escotistas que doam aos jovens seu tempo, seu carinho, e que se dedicam à construção de um mundo melhor.

SER ESCOTISTA

(Marlene Carvalho)

Ser escotista é ser artista, malabarista, passista,

Equilibrista, pintor, escultor, doutor, é ser professor.

É ser mãe, pai, irmão, avô, avó…

Só?

É ser palhaço, estilhaço, espantalho, bagaço…

Psicólogo, musicólogo…

É ser ciências, é ser ação…

Para uns é Cristo,

para outros demônio,

para este, malquisto, para aquele, um sonho…

É ser bússula, é ser farol,

é ser luz, é ser sol.

Impele para o bem, impede para o mal.

Incompreendido? E muito.

Defendido? Nunca. Seu filho acertou? Claro, é um gênio!

Seu filho errou? O Chefe não ensinou.

Para ser Escotista?

É vício ou vocação?

É uma coisa e outra.

É ter nas mãos o mundo de amanhà.

É ter nas mãos o mundo, e não ter nada.

Amanhã os meninos saem do grupo ou trocam de Ramo…

E ele, o chefe, de mãos vazias, tendo partido o coração,

olhos voltados para sua estrela-guia, esperando novas vidas.

Para transformá-los em homens, homens que cumprirão com seus deveres, deveres para com Deus, com sua Pátria, seu próximo e consigo mesmo.

De repente surgem, novos olhinhos ávidos de conhecimento…

E ele, o chefe, o líder, vai despejando com ternura, o saber, a orientação, nas cabecinhas novas, que luzirão no firmamento da Pátria.

Fica a saudade… A amizade…

E a satisfação de um pedaço da missão cumprida.

O pagamento real? Só na eternidade!