Escoteiro do Amazonas recebe medalha de Bronze Cruz de Valor Caio Vianna Martins

6 julho 2017

Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/escoteirosorg/public_html/beta/wp-content/themes/escoteiros-theme/single-noticias.php on line 18

O Escoteiro Igor Gaston tem 13 anos e é integrante do G.E. do Ar Ágape Mindú (8º/AM). No último sábado 25 de junho, ele recebeu a importante condecoração escoteira “Medalha de Bronze Cruz de Valor Caio Vianna Martins” em reconhecimento ao ato de heroísmo praticado meses atrás. Essa é a primeira vez que um membro juvenil do Amazonas recebe a honraria.

A ajuda na hora certa
O adolescente Igor estava em casa, na zona centro-sul de Manaus, acompanhado da diarista Jucilene Costa, 33, quando um incidente mudou a rotina dos dois. Igor estava no quarto e ouviu seu pedido de socorro. Ao chegar na sala de jantar, o adolescente se deparou com um cenário assustador, muito vidro e sangue espalhados pelo local. Imediatamente o rapaz, que possui especialidade de Primeiros Socorros, conquistada no Movimento Escoteiro, colocou os ensinamentos em prática e fez o primeiro atendimento à vítima.

A mãe do adolescente, a arquiteta Rejane Gaston, conta os detalhes do ocorrido. “Igor me ligou questionando onde estava nossa caixa de Primeiros Socorros. Eu perguntava o que estava acontecendo e ele dizia que não podia falar naquele momento. Aí eu comecei a ficar muito preocupada e nervosa. Liguei pro celular da Jucilene e ele atendeu e disse que tinha acontecido um acidente com ela”, disse.

Segundo Jucilene, ela estava realizando o trabalho como sempre fazia, mas foi surpreendida com o inesperado: “Eu estava limpando a mesa de vidro e fui trocar a toalha, acredito que tenha pegado no lustre, na hora que sacudi. Foi quando caiu uma bola do lustre e a mesa quebrou. Fiquei desesperada com os cacos de vidro no chão aí percebi que estava sangrando muito. Gritei chamando o Igor. Ele me ajudou e me fez ficar calma”, contou.

Após a situação controlada, Igor buscou ajuda com os vizinhos, que se admiraram com a calma e destreza do rapaz. Segundo a vizinha da família Mariza Azevedo, o que assistiu foi comovente e admirável. “Quando cheguei me deparei com um quadro indescritível, um adolescente enfrentando um acidente horrível, com muito sangue pela sala e cozinha, mas a atitude dele foi memorável”, ressaltou.

Outra vizinha que acompanhou o caso disse terem sido apenas coadjuvantes daquela cena. Ela enfatizou a conduta do adolescente. “Para a nossa admiração, diante do ocorrido, o Igor estava numa calma quase que perturbadora. Já havia feito um torniquete, deitado a vítima no chão, conversava com ela quase que o tempo inteiro, envolveu o membro lesado com uma toalha, ligou para o Samu e chamou um adulto. Pensei, esse garoto é um prodígio. A atitude dele foi vital para que a moça não perdesse ainda mais sangue, desmaiasse, e por conta disso, saísse ainda mais machucada”, explicou a enfermeira Otacília Maia.

Jucilene foi conduzida ao pronto socorro e está fora de perigo. Durante o trajeto, o adolescente ainda ajudou a equipe de socorro, sinalizando para pedir passagem aos outros veículos. Ao chegar ao hospital, buscou uma cadeira de roda para levar a senhora acidentada até o atendimento de forma segura.
“Eu não me senti assustado nem em pânico por ver muito sangre e também tentei agir com a maior frieza e técnica possível, para que houvesse o mínimo de erro”, relatou o escoteiro.

O Escotismo é um movimento educacional que, por meio de atividades variadas e atraentes, incentiva os jovens a assumirem seu próprio desenvolvimento, a se envolverem com a comunidade. A preocupação com o próximo e com o meio ambiente é um dos pilares do movimento que pretende formar jovens engajados em construir um mundo melhor.

“Fatos como esse demonstram a importância do escotismo na formação do caráter e na construção de um cidadão útil à sociedade; pois, através das instruções praticadas no escotismo, o Igor pôde prestar os Primeiros Socorros à vítima, de forma adequada. Ficamos todos muito orgulhosos dele”, comemorou a fundadora e diretora-administrativa do G.E. Ágape Mindú.